Topo
pesquisar

A CONTRIBUIÇÃO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DENTRO DO CENÁRIO EDUCACIONAL

Educação

A EAD no Mundo e no Brasil, a História do EAD no Piauí e como é a aprendizagem na Educação a Distância.

RESUMO

A praticidade da educação a distância promove facilidade de acesso á escola a milhões de pessoas, inicialmente os cursos eram repassados a partir de materiais didáticos impressos distribuídos através das correspondências. Com o surgimento das tecnologias a da informação, posteriormente agregado os meios de comunicação como a radiodifusão, TV e mais recentemente a internet, houve a possibilidade de poder explorar a educação em lugares onde não sonhava em ter uma profissionalização, devido ao difícil acesso. O objetivo desse trabalho é verificar as modalidades de ensino a distância que vem crescendo na nossa sociedade. Esse trabalho foi baseado em vários autores, com caráter bibliográfico discursivo, faz se um levantamento teórico a cerca da modalidade do ensino a distância. E por fim encontramos que há ainda necessidade de alguns avanço e revisões de atuação que possibilite mais oportunidade de formação para jovens e adultos, podendo ser assim o diferencial acadêmico e profissional fora das grandes cidades brasileiras. O uso de várias tecnologias permite a rápida difusão da educação à Distância (EAD) que é sem dúvida uma ênfase do desenvolvimento da explosão informacional do mundo globalizado.

Palavras-chave: Educação a Distancia, Interação e Desenvolvimento.

ABSTRACT

The convenience of distance education promotes ease of access to school for millions of people, the courses were initially transferred from printed educational materials distributed through the mail. With the emergence of information technology, then added the media like broadcasting, television and more recently the internet, there was the possibility to explore education in places where not dreamed of having a professional due to difficult access. The aim of this study is to examine the modalities of distance learning that is growing in our society. This work was based on several authors, with bibliographical discursive character, makes a theoretical survey about the modality of distance education. Finally we find that there is still need for some revisions and advancement of performance that allows more training opportunities for youth and adults, and may well be academic and career outside the big Brazilian cities differential. The use of various technologies enables rapid diffusion of education Distance Learning (ODL) which is undoubtedly an emphasis on the development of the information explosion of the globalized world.

Keywords: Distance Education, Interaction and Development.

INTRODUÇÃO

Educação à distância (EAD)é uma modalidade de ensino mediada por meios tecnológicos, internet ou via-satélite em que alunos e dissentes estão separados, fisicamente em espaços diferentes, ou seja, distante um do outro. Mas estão presentes em um ambiente presencial de ensino-aprendizagem á distancia. (MORAN, 2009). Outro conceito oficializado pelo decreto de nº 5.622 de dezembro de 2005 frisa no Art: 1º

Para os fins deste decreto, caracteriza- se a Educação a Distância como modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem ocorre com a utilização de meios e tecnologias de informação e comunicação com estudantes e professores desenvolvendo atividades educativas em lugares ou tempos diversos.( BRASIL, p. 01 2005).

Ela veio a partir da necessidade de levar a educação e preparar as pessoas que de certa forma não tinham condições de mudar de cidade ou mesmo por não ter tempo de ir a um local que tenha o ensino presencial regular. Além de aprender os assuntos dos cursos que é repassado o individuo vai ter habilidades em manipular as novas tecnologias e diversificar o seu aprendizado. É uma forma em que a metodologia aplicada aproxima o estudante para o mundo globalizado. Algo que acrescentou no desenvolvimento de nossa educação para a interação da nossa sociedade. Um dos conceitos da EAD é destacado por Aretio (apud GUAREZI, 2009, p. 19),

No qual a EAD é um sistema tecnológico de comunicação bidirecional que substitui a interação pessoal, em sala de aula, entre professor e aluno como meio preferencial de ensino pela ação sistemática e conjunta de diversos recursos didáticos e pelo apoio de uma organização tutorial de modo a propiciar a aprendizagem autônoma dos estudantes.

A utilização dos recursos tecnológicos tais como: o computador, internet, plataformas e etc. Possibilita a aproximação do o estudante com os demais alunos e com os próprios professores ou tutores. Que nesses espaços eles tiram duvidas, conversam mandam material e estudam como qualquer outro aluno. A formação profissional nos dias atuais promove a aquisição de valores na carreira de cada trabalhador e passou a ser uma exigência do mercado de trabalho. Como uma nova opção no momento da escolha por um curso que promova a sua qualificação profissional. A Educação a Distância (EAD) vem de encontro com a falta de oportunidade, para diminuir a distância do saber que por alguns motivos, deixa de ser transmitida; seja por causas das longas distâncias, ou por causa do tempo que é bastante corrido e também coincidirem com o trabalho, escola e residência. Fazendo com que muitas pessoas optem por este tipo de ensino.

Outra razão do aumento da procura por este tipo de curso é a falta de profissionais qualificados no mercado de trabalho, o que está levando as empresas a investirem em seus profissionais, em cursos coorporativos onde o desenvolvimento pode ser acompanhado de perto pela empresa. A educação conduz ao desenvolvimento profissional do educando e a busca por novos objetivos é alcançada por meio de o crescimento adquirido no percorrer do curso de qualificação.

Para Leroy (1993) categoriza o conhecimento existente nas sociedades em três formas diferentes: a oral, a escrita e a digital. Embora essas formas tenham-se originado em épocas diferentes, elas coexistem e estão todos, presentes na sociedade atual. No entanto, elas nos encaminham para percepções diferentes, racionalidades múltiplas e comportamentos de aprendizagens diferenciadas.

Pois com a retomada do crescimento econômico e de consolidação da democracia, conquistadas recentemente pela sociedade, estamos vivendo em um mundo globalizado e interdependente, mas dominado por uma lógica perversa que forma descontraída incentiva à competitividade no destino das nações e até mesmo nos indivíduos. Que tem que estar preparado e o meio mais propício é a educação que com o tempo a virtualidade e a ficção são reconsideradas em novas e modernas, concepções educacionais, baseadas nos impactos tecnológicos que a humanidade vem sofrendo.

A EAD NO MUNDO

A educação a distancia começou a ser conhecida a partir do século XIX. Somente nas ultimas décadas deste mesmo século é que ela começou a ser usada nos meios de aprendizagem. Em 1833, um anúncio publicado na Suécia já falava do ensino através de correspondência (cartas), e no Reino Unido em 1840. Issac Pitmaan contribuiu com os avanços dataquigrafiaemcartões que o mesmo trocava entre os seus educandos. Depois disso foi à vez de trocas de correspondências pelos correios e em seguida pelo radio, televisão e com os avanços tecnológicos temos uma vasta opção para estudar a distância.

Do início do século XX até a Segunda Guerra mundial, várias experiências foram adotadas, sendo possível melhor desenvolvimento das metodologias aplicadas ao ensino por correspondência. Depois, as metodologias foram fortemente influenciadas pela introdução de novos meios de comunicação de massa (NUNES, 2009, p. 3).

As correspondências eram a principal maneira para o ensino a distância sendo muito utilizado por universidades como, por exemplo; a Universidade de Queensland na Austrália que usara esse método para seus alunos nos anos de 1910.

A EAD NO BRASIL

No nosso país o ensino a distancia começou na década de 30, através do instituto monitor que disponibilizando vários cursos profissionalizantes, eram feitos por trocas de correspondência. Viabilizando pela impressão em escala, permitindo assim a educação de um contingente cada vez maior de pessoas. Em 1960 surge a radio - educativa com programas voltados para área educacional abrangendo uma grande área territorial. Esse foi uns dos meios que de ensino a distância na época. Logo depois na década de 70 foi à vez da televisão, onde a mesma transmitia cursos profissionalizantes e aulas para o ensino básico para as pessoas que não tinha oportunidade de ir a um estabelecimento de ensino para se profissionalizar, é o caso do telecurso apresentado pela emissora rede Globo. ( RIBAS, 2010).

Segundo Niskier (2000, p. 49), diz que:

A EAD tornou-se a modalidade fundamental de aprendizagem e ensino, no mundo inteiro. Antes cercada de mistério, hoje é até mesmo reivindicada por sindicatos poderosos, no Brasil, onde o seu prestígio cresce de forma bastante visível. Parte-se de um conceito extremamente simples: alunos e professores separados por uma certa distância e, as vezes pelo tempo. A modalidade modifica aquela velha idéia de que, para existir ensino, seria sempre necessário contar com a figura do professor em sala e de um grupo de estudantes.

No nosso país o termo educação a distancia era antes desconhecido, e muitas pessoas desacreditava nessa concepção de ensino, mas com o decorrer do tempo foi-se observando o reconhecimento dessa modalidade de ensino. Em que o próprio aluno escolhe seu tempo para estudar e transforma a questão de que só se tem aprendizado ou ensino se houver a presença de um professor e grupos de alunos em salas de aula, ou seja, o ensino regular.

De acordo com Cavellucci, ( 2010, p.1). Afirma que:

A escola que frequentamos, baseia-se no modelo educacional ainda predominante no nosso país, o da educação homogênea. À primeira vista esta visão pode parecer justa, mas se refletirmos um pouco mais, lembrando-se de algumas situações vividas por nós mesmos durante a vida escolar, podem encontrar indícios de que a educação homogênea não atinge a todos de forma igual e equitativa. Ao contrário, lutamos o tempo todo para adaptarmo-nos a um modelo de aprendizagem que frequentemente não nos serve.

A princípio a escola regular padronizava o ensino, pois não respeitavam as escolhas de cada aluno. Já com a EaD isso modificou essa perspectiva passando ater um novo paradigma eficiente, apresentado assim várias novas possibilidades de ferramentas tais como síncronas e assíncronas. Precisa ter a convicção de que cada aluno tem a possibilidade de estuda a seu tempo, contudo seguido regras de entrega de trabalhos assim como o ensino regular.

A HISTÓRIA DA EAD NO PIAUÍ

A princípio o ministério da educação criou a universidade aberta do Brasil no ano de 2005, que tinha como principal objetivo instituir um sistema integrado nacional de educação superior a distancia que nos dias atuais é conhecida por (EAD). Esse sistema tinha um objetivo de democratizar a oferta de vagas, aumentar, e levar a educação tanto técnica como superior a vários lugares do país, principalmente onde era impossível ter acesso a essa forma de ensino.

Um dos seus primeiros cursos foi o de bacharelado em Administração, de forma experimental, sendo assim foram oferecidas 500 vagas na capital Teresina e em 07 cidades polo do estado do Piauí; Bom Jesus, Esperantina, Floriano, Parnaíba, Picos, Piripiri e São Raimundo Nonato. (BRASIL, 2005).

Nesta perspectiva, a Universidade Aberta do Brasil (UAB) possibilitará à Universidade Federal do Piauí (UFPI) aumentar as vagas, para os cursos disponibilizados junto a sociedade do estado do Piauí, através de novos cursos que cuja divisão curricular não exija uma infraestrutura grande do que as demais, ou complexa que impossibilitasse a sua instalação. As pessoas aprovada em provas ou testes de vestibular para EaD, será disponibilizados para os mesmas, Polos de Apoio Presenciais, sento que estes estão a disposição de todos os ingressantes.
Atualmente o EAD no estado oferece os seguintes cursos: Bacharelado Administração, este sendo o primeiro curso a ser disponibilizado, em seguida veio os cursos de Pedagogia, Sistemas de Informação, Química, Licenciatura Biologia, Filosofia, Física, Matemática. (BRASIL, 2005).

Atualmente a universidade Aberta do Brasil (UAB), foi incorporada a Universidade Aberta do Piauí (UAPI), que trabalha junto com a universidade estadual (UESPI) e a universidade Federal do Piauí (UFPI), que oferece graduação e pós-graduação latu senso pelo sistema EAD. Com o começo das atividades em 2006 a UAPI, tem ampliado o seu número de vagas em diversas áreas, dinamizado as oportunidades de acessos ao ensino técnico profissionalizante e á graduações diversas. E com isso melhorando a forma de acesso á educação e com isso melhorado a vida das pessoas que as procura esse tipo de modalidade de ensino.

A APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

O ensino a distancia está fundamentado na interação entre os professores e alunos engajados num elo que determina o acesso que induz nesse processo de ensino e conhecimento. Que através desses ambientes virtuais de ensino que se baseiam em sua maioria, numa prática construtivista. E, para que esses princípios fundados na produção coletiva sejam alcançados, faz-se necessário que os professores saibam utilizar as ferramentas oferecidas por esses ambientes de modo que se estimule e motive os alunos a praticar das atividades. Assim, não se deve simplesmente transportar os moldes utilizados no ensino tradicional e presencial para os ambientes virtuais.

Conforme a Resolução n. 26, de 5 de junho de 2009, são obrigações do tutor: Brasil, (2009, p. 11-12). Afirma que:

Mediar à comunicação de conteúdos entre o professor e os cursistas; acompanhar as atividades discentes, conforme o cronograma do curso; apoiar o professor da disciplina no desenvolvimento das atividades docentes; manter regularidade de acesso ao AVA e dar retorno às solicitações do cursista; estabelecer contato permanente com os alunos e mediar às atividades discentes; colaborar com a coordenação do curso na avaliação dos estudantes; participar das atividades de capacitação e atualização promovidas pela Instituição de Ensino; elaborar relatórios mensais de acompanhamento dos alunos e encaminhar à coordenação de tutoria; participar do processo de avaliação da disciplina sob orientação do professor responsável; apoiar operacionalmente a coordenação do curso nas atividades presenciais nos pólos, em especial na aplicação de avaliações.

O tutor a distância é a pessoa que vai auxiliar tanto professor como o aluno, é função do tutor a construção dos materiais a serem trabalhados nos momentos das aulas presenciais e também virtuais. Já o tutor presencial é aquele que auxiliar os encontros presenciais, e na organização da frequência dos alunos na devida plataforma e também auxilia nas resoluções de algum problema enfestados pelos alunos no decorre do curso.

A elaboração dos materiais didáticos, então, é de extrema importância para que esta modalidade de ensino possa realmente ser significante para os discentes, transformando-se em um dos principais fatores responsáveis pela motivação dos alunos. Ao se planejar uma disciplina para a EAD, devem-se explorar os recursos oferecidos pelos ambientes virtuais de aprendizagem, como por exemplo, a possibilidade de inserção de áudios e imagens, e principalmente, o uso das ferramentas de chats e fóruns.

Para Michael Moore e Greg Rearley (1996), A Educação de forma interligada pela internet é um aprendizado de forma planejado que almeja normalmente em lugares diferentes do local do ensino, exigindo:

  • Técnicas especiais de criação do curso e de instrução;
  • Comunicação por meio de varias tecnologias;
  • Disposições organizacionais e administrativas especiais.

De acordo com as afirmações podemos relatar que é um novo meio de se poder chegar ao um ensino superior de qualidade igualitária aos demais cursos presencias, em que o aluno poder escolhe seus horários de estudo, ao contrario dos demais cursos em que há um tempo de estudo cronometrado.

De acordo com Otto Peters (1973) citado por Nunes em 1992. A Ead é uma metodologia de compartilhamento de conhecimento, através de novas habilidades e atitudes compatíveis aos princípios organizacionais e a divisão do trabalho. O uso extensivo de meios de comunicação possibilita instruir um grande numero de estudantes ao mesmo tempo.

Outro aspecto importante que contribui para aumentar o interesse dos alunos na EAD é a contextualização. Situar os estudantes sobre as técnicas tratadas nos fóruns, por exemplo, ajuda na ampliação das discussões, pois as explicações ou a apresentação de fatos reais estimularam os questionamentos acerca de possíveis soluções para as situações apresentadas. Assim, a apresentação de exemplos práticos para os assuntos estudados, relacionados ao cotidiano dos alunos faz com que eles se sintam encorajados a participar das discussões propostas.

Segundo Preti, (1996 p. 12). Afirma que:

A crescente demanda por educação, devido não somente a expansão populacional como, sobretudo as lutas das classes trabalhadoras por acesso a educação, ao saber socialmente com a evolução dos conhecimentos científicos e tecnológicos está exigindo mudanças em nível da função e da estrutura da escola e universidade,.

Isso se dá devido à enorme extensão territorial do nosso país e a falta de acesso às universidades e principalmente aquelas pessoas das cidades interioranas serem mais difícil ter acesso às formas de ensino presenciais regulares, mais com o surgimento da educação a distancia houve a possibilidade de adentrar ao ensino superior de qualidade, e às vezes sem precisar sair de suas cidades.

Da Escola Presencial á Escola virtual

A escola presencial é polifônica. Os sons se espalham pelos ambientes e dão sentido ao espaço educativo. A escola fechada ainda emana linguagens que permanecem impregnadas em todo o seu perímetro.As escolas virtuais são expostas na tela do computador, a escola virtual se apresenta pela sua imagem. A escola virtual é um ícone de um novo tempo tecnológico do espaço educativo.

Local em que se partilham fluxos e mensagens para a difusão dos saberes, o ambiente virtual de aprendizagem constrói com base no estimulo á realização de atividades colaborativas, em que o aluno não se sinta só, isolado, dialogando apenas como a máquina ou com um instrutor, também virtual. A aprendizagem independente de professor, ou seja, o aluno é estimulado a construir o conhecimento por si mesmo, a partir de suas praticas já existentes e suas reflexões, podendo se tornar ator e autor de seu aprendizado. Ele assume uma postura ativa, de participação, apesar da distancia, ou seja, tentar de uma forma estabelecer diálogos com os demais colegas do curso e com o próprio professor ou seu tutor. Para que encontre o favorecimento da comunicação planejada de cada curso.

Nessa nova educação um fato essencial para o desenvolvimento da mesma é a linguagem escrita é logicamente, o mais importante na área da comunicação entre os docentes e os materiais vão servi de suporte escrito que é essencial para demostrar os níveis de compreensão sobre o tema exposto em sala de aula ou no espaço virtual. Que na maioria das vezes é esse espaço que os alunos se interagem entre si e com os demais colegas de curso. Que por via das dúvidas é um espaço em que o aluno pode estudar partilhar seus conhecimentos para os demais e tirar suas dúvidas com os tutores à distância, que se encontra em dias e horários marcados, ou seja, combinados com os alunos como é o caso dos chats e os forúns que tem datas programadas para serem respondidas. E os mesmo são utilizados como requisitos para no fim da matéria ser acrescentada na nota final.

De acordo com Kerckhove (p.54, 1999). Afirma que:

A megaconvergência de hipertexto, multimídia, realidade virtual, redes neurais, agentes digitais e vida artificial estão mudando partes diferentes de nossas vidas - nossos modos de comunicação, entretenimento e trabalho. A rede, no entanto, muda tudo isso e muito mais, ao mesmo tempo. A internet nos dá acesso a um entorno real, quase orgânico, de milhões de inteligências humanas perpetuamente trabalhando em algo e em muitas coisas que sempre tem uma relevância potencial para qualquer um e para todos os outros. Trata-se de uma nova condição cognitiva a que eu chamo de webness ou inteligências em conexão,

As novas ciências tecnológicas criadas para melhorar no desempenho das nossas atividades servem de grande valia para o aprimoramento do conhecimento das pessoas que estão cada vez mais buscando novos métodos, principalmente os cursos mais práticos para se profissionalizar. E com o advento da internet possibilitou grandes avanços na educação à distância, com variedades de opção para o acesso a essa modalidade de ensino em varias partes do mundo.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Com base nos pressuposto apresentados neste trabalho, podemos concluir que há uma diferença inegável entre o ensino tradicional presencial e o ensino à distância. Uma das principais diferenças entre as duas modalidades corresponde ao tipo de aluno e a seus interesses. Desse modo, na EAD, os professores não devem fazer uso dos mesmos moldes que seriam utilizados no ensino tradicional em que os alunos têm a proximidade física com o professor.

Para as disciplinas a distancia, nos ambientes virtuais de ensino/aprendizagem, os professores e tutores de modo a prever possíveis dúvidas dos alunos, também cria-las da forma mais atrativa e dinâmica possível, pois o material didático constitui-se na principal ferramenta para que o interesse dos alunos se mantenha constante durante todo o processo de aprendizagem.

Pois é de fundamental importância que os alunos, professores, tutores estejam integrados, ou seja, entre eles deve ter um elo que vá de uma forma ou outra facilitar o processo de ensino aprendizagem. Também devemos levar em consideração o publico alvo dos cursos em EAD, a tecnologia utilizada para levar as informações, o grau de interação entre alunos, professores e tutores, e por fim as mediações pedagógicas que também e fundamental nesse processo que tem como principal ator do mesmo, o aluno, que terá acesso a essas tecnologias que será empregado aos meios da acessibilidade nos determinado curso.

REFERÊNCIAS

ARETIO, L. G. Educación a distancia hoy. Universidad Nacional de Educación a Distancia, 1994. In: GUAREZI, R. C. M; MATOS, M. M. Educação a distância sem segredos. Curitiba: Ibpex, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Edital nº 1, de 16 de dezembro de 2005. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Chamada publica para seleção de pólos municipais de apoio presencial e de cursos superiores de instituição federais de ensino superior na modalidade Educação à Distância para o sistema Universidade Aberta do Brasil - UAB. Brasília, DF, 2005.

BRASIL. Decreto 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Regulamenta o artigo 80 da lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 20 dez. 2005.

___________Resolução n. 26, de 5 de junho de 2009. Estabelece orientações e diretrizes para o pagamento de bolsas de estudo e de pesquisa a participantes da preparação e execução dos cursos dos programas de formação superior, inicial e continuada no âmbito do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB), vinculado à Coordenação de aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), a serem pagas pelo FNDE a partir do exercício de 2009.

CAVELLUCI, Lia. Cristina B. Estilo de Aprendizagem em Busca das Diferenças individuais. Disponível em: http://www.scribd.com/doc/21015627/artigo-2003-estilos-de-aprendizagem-em -busca-das-diferenças-individuais- CAVELLUCI. acesso em 18.Out.2014

EDITH, Litwin. Educação a Distancia: temas para o debate para uma nova agenda – Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

NUNES, I. B. A história da EAD no mundo. 1 Capítulo do livro: Educação a distância o estado da arte. LITTO, F. M. e FORMIGA, M. (orgs). São Paulo: Pearso Education, 2009.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e ensino presencial a distancia – Campinas, SP: Papirus, 2003.

KEARLEY, Greg. O cenário atual da educação a distancia. Tecnologia educacional, Rio de Janeiro, v.16, nº 78-79, 1996.

KERCKOVE, Derrick. A pele da cultura. Uma investigação sobre a nova realidade. Relógio da Agua. Lisboa, 1997. Connected intelligence: The arrival of the web society. Somervillehouse Books. Toronto, 1999.

LEVY, Pereira. As tecnologias da inteligência. O futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: ed. 64, 1993.

MORAM, J. M. O que é educação à distância. Universidade de São Paulo. Disponível em http:www.eca.usp.br/moran/dist.htm acessado em 05/10/14

MOORE, Michael. Educação a distancia: um estudo sobre as expectativas dos alunos em relação ao uso do meio impresso ou eletrônico, Rio de Janeiro, 1986.

NISKIER, A. Educação a distância: a tecnologia da esperança. 2. ed. São Paulo: Loyola, 2000.

PETERS, Otto. Retrospectiva histórica da educação a distancia, São Paulo, 1973.

PRETI, O. Educação a distancia: Uma pratica educativa mediadora e mediatizada. Cuiabá : NEAD/ IE – UFMT. 1996

RIBAS, M. R. Educação à distância. Disponível em: http// www.universitario.com.br/noticias/n.php?! 10360. Acesso em 05/10/114

Universidade Aberta do Piauí. Educação a distancia no Piauí: disponível em : http //www.uapi.ufpi.br/historico.php. acessado em 04de outubro de 2014.

Artigo desenvolvido por: 

Rhode Moreira Coimbra - Graduando no 6º período de Pedagogia pelo Instituto Superior de Educação Programus – ISEPRO.
José Wilkin A. Soares Leal - Graduando no 6º período de Pedagogia pelo Instituto Superior de Educação Programus – ISEPRO.
Vagner e Silva Sousa - Graduanda no 6º período de Pedagogia pelo Instituto Superior de Educação Programus – ISEPRO.
Andreia Alves Poti - Professora da Faculdade ISEPRO, da rede pública e privada de Ensino. Graduada em Língua Inglesa e Pedagogia. Especialista em Metodologia do Ensino, Psicopedagogia Clinica e Institucional e Língua Inglesa.


Publicado por: Vagner e Silva Sousa

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola