Topo
pesquisar

A Gestão Estratégica de Pessoas inserida na Gestão Estratégica de Processos de Logística

Atualidades

Analise da empresa Rapidão Cometa na prestação de serviços de operação Logística e as estratégias oferecidas nos armazéns da VALE.

1 – INTRODUÇÃO

O objetivo do nosso estudo é analisar a empresa Rapidão Cometa, uma empresa terceirizada da VALE S/A (Unidade Operacional Taquari-Vassouras) situada no estado de Sergipe, na prestação de serviços de operação Logística e as estratégias oferecidas nos armazéns da VALE. A VALE é uma empresa de mineração e é responsável pela extração do cloreto de potássio (KCl), que  é um importante componente para a produção de fertilizantes e que é um elemento essencial no desenvolvimento das plantas, aumentando sua resistência contra pragas, contra estiagens prolongadas e geadas, proporcionando um crescimento normal e sadio.

Inicialmente, a Rapidão Cometa para efetuar a operação logística da VALE teve que enfrentar, por parte de alguns membros da diretoria, resistência as mudanças que se faziam necessárias para adaptação ao sistema organizacional e operacional da VALE. Por este motivo foi instituído um líder comprometido e capaz de fazer com que sua equipe se envolvesse no resultado, passando segurança pessoal, material e motivando-os em novas idéias e criando uma expectativa de crescimento na organização.

Buscaremos no desenvolver do estudo mostrar como se pode aplicar, de forma conjunta, a Gestão de processos produtivos e logística com a Gestão Estratégica de Pessoas, para atingir melhores resultados gerenciais, seja na condução dos processos internos da organização, nos resultados dos seus processos logísticos ou no estilo de liderança que é adotado pela empresa.

Serão analisadas as mudanças que ocorreram em sua estrutura organizacional com o intuito de melhorar o processo logístico e, as ferramentas específicas utilizadas e suas vantagens. Será abordado também o processo de recebimento e conferência dos itens que adentram aos armazéns, bem como os aspectos referentes à armazenagem e o atendimento ao cliente final. Para realizar este serviço de operação logística a Rapidão Cometa possui um quadro de 19 funcionários devidamente alocados nos setores de recebimento de materiais, estocagem de materiais, atendimento, expedição e controle.

2 – DESENVOLVIMENTO

Preocupado com o serviço de logística In house na VALE, a Rapidão Cometa procura obter no mercado profissional, pessoas capacitadas em cursos técnicos que desejam mais que um simples emprego e sim, aprender, se aprimorar e ter uma carreira nesta área. Sabemos que pessoas capacitadas são de grande importância para que a empresa consiga bons resultados.

Para Knapik (2008, pag. 137): os cargos são mais exigentes, e a procura por novas competências passa a ser fundamental para quem busca empregabilidade. Com isso, os profissionais são visto pela empresa que contratou como um diferencial competitivo pelo valor agregado traduzido em competência, habilidade e atitudes.

Devemos observar em um mundo hoje globalizado e competitivo, a preocupação com a motivação tem um aspecto estratégico; significa incentivar as pessoas para a ação, para a realização e a conquista de objetivos, de modo a evitar a acomodação e a estagnação da criatividade e da inventividade. Não basta ter apenas uma boa operação logística, se faz necessário ter o envolvimento dos funcionários de forma participativa, já que os funcionários são a espinha dorsal de qualquer organização.

Segundo Campos e Caroline (2007, pag.73): “A formulação da estratégia deve ser vista como sendo um complexo sistema que cresce e se desenvolve, embora só seja visível em longo prazo”.

Os processos logísticos e estratégias da Rapidão Cometa serão abordados nas diversas áreas dos armazéns e serão comentados a partir do processo de recebimento, armazenamento, atendimento, inventário e o sistema de informação.

2.1 – Recebimento

Após cadastramento da nota fiscal pela célula integrada, o veículo responsável pela entrega do item ao armazém se dirige ao Recebimento de Materiais onde cada item e nota fiscal passa por dois processos de conferência. Estão envolvidos diretamente neste processo os conferentes de materiais, motoristas e os operadores de empilhadeiras.

Segundo Paranhos Filho, (2007, pag.45). “O funcionamento ótimo do sistema organizacional depende da forma como ele é estruturado, para que permita que cada um de seu agentes tenha a performance esperada e que a coordenação entre os mesmos seja eficiente”.

Também cabe ao Recebimento de Materiais a consolidação e distribuição para a área operacional dos itens não estocáveis.  Esta distribuição deve ser feita em até 24 horas e, neste caso a inspeção do item deve ser feita pelo cliente final no ato do recebimento. São os materiais que chegam para serem entregues diretamente ao usuário sem que seja preciso passar pelo armazém. Esses processos de recebimento e conferência são de responsabilidade da Rapidão Cometa e serão descritas a seguir:

1ª Conferência (Conferência de Volumes) – confere se a transportadora responsável pela entrega realmente está transportando o quantitativo de volumes que está descrito no conhecimento de transporte de carga.  Em caso de divergência o item não será descarregado ou, o item será aceito com ressalvas no CTRC. No segundo caso, cabe ao armazém verificar junto à transportadora contratada a localização do referido item.

2ª Conferência (Conferência Técnica) – verifica se o item recebido está de acordo com as especificações técnicas solicitadas.  Deve ser realizada em até 24 horas após o recebimento do item e, caso o item não atenda a estas especificações, o mesmo será devolvido ao fornecedor e o pagamento será bloqueado.

2.2 – Armazenamento

A VALE dispõe de dois armazéns de peças MRO, sendo que um está localizado na superfície e é denominado de Armazém 0M1, enquanto o outro, que é denominado de Armazém 0M2 está localizado no subsolo a 500m de profundidade no intuito de atender as necessidades da mina de potássio.

O armazém 0M1 tem a finalidade de receber, inspecionar, armazenar e garantir a boas condições de uso dos itens estocáveis até que os mesmos sejam requisitados para uso na área. Cerca de 5025 itens estão estocados no armazém 0M1. Cabe ao armazém gerenciar com maior critério o armazenamento e a acurácia destes itens.

O armazém 0M2 está localizado na mina de potássio a 500 m de profundidade e, também é operacionalizado pela empresa Rapidão Cometa nos mesmos moldes que o armazém 0M1.  Estão armazenados no armazém 0M2 cerca de 1743 itens. 

Não cabe ao armazém apenas acondicionar o material, também se faz fundamental que os itens armazenados estejam em perfeitas condições de uso no momento em que o cliente final necessitar dos mesmos.  Neste ínterim, instruções de armazenagem referentes aos mais diversos grupos de item são repassadas ao responsável pela estocagem dos itens. 

A distribuição física dos itens no armazém também é um fator importante a ser considerado, não só no momento da estruturação do mesmo, mas também periodicamente, sempre no intuito de maximizar a utilização de espaço físico. Diante disto, é imprescindível o uso de porta-pallets, prateleiras mezaninos, verticalizando ao máximo a disposição dos itens.

 Tanto o armazém 0M1 como o armazém 0M2 dispõe destas estruturas e segue a risca algumas orientações relevantes, como por exemplo: a disponibilização adequada de uma área de lubrificantes com caixas de contenção, uma área de equipamentos pesados próxima da expedição onde a armazenagem é feita sempre levando em consideração que o item mais pesado deve ficar mais próximo do solo, uma área de minuterias e um mezanino onde ficam dispostos os equipamentos de proteção individuais e os uniformes.

 Também são de responsabilidade do estoquista a preservação e o controle dos itens perecíveis quanto a sua validade. No que se refere à preservação, ressalta-se que todos os motores elétricos têm os seus eixos girados pelo menos uma vez no mês no intuito de garantir o perfeito funcionamento dos rolamentos que os compõem.  No que concerne aos itens perecíveis, além do controle realizado pelo estoquista, ressalta-se que grande parte deste fica em áreas climatizadas.

2.3 – Atendimento

O atendimento de itens ao usuário final pode ser  de duas maneiras: Em domicílio e feito no balcão de atendimento. No caso de atendimento em domicílio, o Operador Logístico tem a responsabilidade de imprimir todas as requisições de materiais programadas para uma data específica, após a consolidação da carga os itens serão entregues. 

Quando o atendimento é feito no balcão, o atendente imprime a ficha de atendimento, onde constam as informações que servirão para a localização do item e sua respectiva baixa no estoque. Tanto para atendimento em domicílio quanto para atendimento no balcão, somente após a assinatura do usuário final na ficha de atendimento é que o atendente de materiais pode baixar o item no estoque. 

As requisições deverão ser entregues na data de necessidade estipulada pelo usuário final. Diante disto, se faz necessário a utilização de indicadores que mensurem o tempo médio de atendimento no balcão e o tempo médio de atendimento em domicílio.

2.4 – Inventários

Tanto no armazém 0M1 quanto no armazém 0M2 são realizados, anualmente, inventários gerais. O inventário é feito por uma empresa contratada, onde até três contagens cegas de cada item são realizadas e, a baixa de estoque é efetuada caso a quantidade contábil deste item não esteja igual ao físico.  No final, um relatório com todas as transações efetuadas é emitido à alçada responsável. Além disto, é feito pequenos inventários denominados de inventários rotativos que são realizados com a mesma finalidade. Estes inventários são diários e tem foco, principalmente, nos itens de nível crítico A.

2.5 – Sistemas de informação

A VALE utiliza o software Oracle para uso do ERP, tecnologia imprescindível para que a cadeia de suprimentos funcione de forma eficiente e atenda as necessidades dos clientes.

Todos os itens que serão gerenciados pelo armazém deverão ter um código, uma descrição técnica e estar vinculada a determinada unidade de negócio. O T.T.I tem a função de, em conjunto com as áreas operacionais, elaborar esta lista de materiais e vinculá-los aos armazéns.

Para que se garanta que os itens vinculados as unidades de negócios sempre atendam aos clientes finais, é imprescindível que os itens tenham descrições técnicas detalhadas.  Por este motivo, foi posto em pratica o projeto de saneamento de itens, que tem como objetivo detalhar ainda mais um conjunto de itens que ainda carecem de especificações técnicas. As referências de fabricantes norteiam o comprador na aquisição dos itens, porém não impedem a compra de similares, desde que estes atendam as necessidades do usuário.

Segundo Caiçara Junior, (2006, pag.26). “É de fundamental importância para uma organização a qualidade da informação adquirida e / ou processada, pois esse aspecto reflete na efetividade do processo de tomar decisões em uma empresa. Para Rezende e Abreu, as informações de qualidade devem ser comparativas, confiáveis, geradas em tempo hábil e no nível de detalhe adequado”.

3 – CONCLUSÃO

No estudo mostrado procuramos apresentar os processos logísticos e as estratégias usadas, assim como a ligação entre a gestão estratégica de processos logísticos e a gestão de pessoas, com base nos conhecimentos adquiridos. Buscamos identificar os processos logísticos da empresa, e analisar a utilização dos métodos propostos para avaliação e melhoramento do nível de integração entre as estratégias e ações no âmbito da empresa. Verificamos também que uma estrutura organizacional depende das pessoas que integram a esta estrutura e na maneira como são gerenciados os processos internos dentro de uma visão estratégica da organização, que é fundamentada em equipes de processos e estes processos envolvem diferentes habilidades, além de autonomia operacional e uma integração de sistemas de informação. Os resultados obtidos pela Rapidão Cometa desde o inicio da implantação das estratégias, procurou por reduzir os desperdícios e transformá-los em tempo disponível, para agregar valor ao processo logístico.

A busca por eliminar defeitos e falhas dos funcionários no processo e evidenciar os problemas ao ocorrer, foi um desafio na administração de pessoal na empresa e precisou alocar no lugar certo e fazer com que pudessem utilizar todo seu potencial para gerar os melhores resultados. Este é um dos motivos de se analisar a importância dos processos críticos da empresa e a análise de mapas de relacionamentos de processos para entender melhor como o trabalho é feito e como identificar os objetivos do processo, cliente, fornecedor e resultados esperados.

A estratégia envolveu toda a organização e a mensuração de seus indicadores, procurando direcionar o processo de melhorias e mudanças. A Rapidão Cometa procurou desde o inicio, aperfeiçoar seus processos, buscando soluções para evitar a duplicidade de esforços através de medições de desempenho dos processos, sempre planejando e aperfeiçoando a sua área de atuação mostrando-se responsável em suas decisões e nas diversas ocasiões em que seus serviços foram requisitados.

4 – REFERÊNCIAS

CAMPOS, LUIZ FERNANDO RODRIGUES; BRASIL, CAROLINE V. DE MACEDO. Logística teia de relações – Curitiba: Ibpex, 2007.

PARANHOS FILHO, MOACYR. Gestão da produção industrial – Curitiba: Ibpex, 2007.

CAIÇARA JUNIOR, CÍCERO. Sistema integrado de gestão – ERP: Uma abordagem gerencial. – Curitiba: Ibpex, 2006.

REZENDE, D. A. Tecnologia da informação integrada à inteligência empresarial: Alinhamento estratégico e análise da pratica nas organizações. São Paulo: Atlas, 2002.

KNAPIK, JANETE. Gestão de pessoas e talentos: 2. Ed. Curitiba: Ibpex, 2008.


Publicado por: MARIA LEDINILMA BISPO DA PIEDADE

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do Brasil Escola, através do canal colaborativo Meu Artigo. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
MeuArtigo Brasil Escola